liberação miofascial

Liberação miofascial: o que é e quais suas indicações

5 (100%) 3 votes

A liberação miofascial é uma técnica muito utilizada na fisioterapia, que busca relaxar a musculatura e distensionar as fáscias. Geralmente é utilizada em atletas e em diversas patologias como retrações musculares, contraturas, tensionamento local, dores musculares crônicas, fibromialgia, etc.

No entanto, está cada vez mais comum seu uso em praticantes de musculação pelo fato de promover mais liberdade de movimentos e aumentar a capacidade de expansão muscular, no caso da hipertrofia.

 

consultoria online fitness

 

Vamos entender um pouco mais sobre o assunto: o termo miofascial significa “mio: musculo, fascial – fáscia: tecido conectivo = fáscia muscular”.

A fáscia é uma espécie de membrana formada por tecido conjuntivo que recobre cada fibra muscular, cada músculo e também toda a superfície do conjunto muscular, sendo encontrada em diversas extensões, espessuras e densidades em nosso corpo, permitindo que a função corporal em geral seja bem executada, fornecendo juntamente sustentação aos tecidos, proteção, coordenação e impedindo que ocorra o atrito entre os músculos.

liberacao-miofascial

 

O encontro final das fáscias ou um conjunto de fáscias formam os tendões, fornecendo suporte e tração adequada entre o osso e a musculatura, e tendo grande influência no desempenho das funções das estruturas musculares.

Segundo Rêgo (2012), “as fáscias também são sempre interligadas uma na outra, havendo uma continuidade entre elas, sendo assim, seja qual for o tipo de alteração na tensão em qualquer parte da sua extensão, será repercutido no conjunto, afetando de forma global o nosso corpo. ” Esse fato também explica, por exemplo, juntamente com o sistema nervoso, a dor por irradiação, ou a dor crônica global.

 

De que forma a fáscia pode ser afetada e o que isso altera no nosso organismo?

Atividades da rotina, posturas inadequadas por grandes períodos de tempo, alterações posturais instaladas, fatores ocupacionais, o efeito da gravidade sobre o nosso corpo, tensões do dia-a-dia, questões emocionais, overtraining, sedentarismo, lesões e intercorrências musculares ou mesmo ósseas, entre outros acometimentos que poderão gerar contraturas, pontos gatilho (pontos tensionados e dolorosos ao toque, que reverberam em toda extensão próxima), retrações musculares (que podem originar tendinopatias), fibromialgia, síndrome da dor miofascial, cansaço excessivo, envelhecimento precoce, estresse, ansiedade, dores crônicas globais, etc.

Desta maneira, a liberação miofascial irá ajudar você a ter um relaxamento muscular e promove uma melhor regeneração dos treinamentos.

 

Leia também: Manguito rotador, por que fortalecer?

 

Todos esses quesitos acima citados reduzem a elasticidade e flexibilidade muscular, restringem a capacidade do corpo de se movimentar, diminuem a nutrição muscular, impedem o bom desempenho no treino (principalmente na capacidade de gerar força), tornam mais difícil a hipertrofia (pelo fato da fáscia estar tão aderida ao conjunto muscular que não permite o crescimento das fibras), dificultam o rendimento dos atletas e também atrapalham bons resultados no emagrecimento.

 

O que a liberação miofascial proporciona?

Alívio de dores (crônicas, tensionais, pós treino, patológicas, etc.), relaxamento muscular, maior mobilidade articular, mais liberdade na execução dos movimentos, melhora na capacidade de contração muscular. Além disso, temos ainda a melhora na disposição, mais flexibilidade, elasticidade e agilidade, prevenção de lesões e doenças musculares crônicas, melhor desempenho na hipertrofia, definição muscular e emagrecimento.

Para atletas, temos  melhora de rendimento, maior facilidade na nutrição muscular, acelerando a remoção de metabólitos, melhora da propriocepção e consciência corporal.

 

Ela pode ser indicada tanto no pré quanto no pós treino, cada um para uma finalidade diferente. No pré treino é mais usada para diminuir a fadiga muscular, melhorar a flexibilidade e execução dos exercícios, e no pós treino, para redução da dor muscular e relaxamento.

 

Como é realizada a liberação miofascial?

Pode ser feita por um profissional, ou por você mesmo. Se for realizada por um profissional, é possível utilizar-se da forma manual, por meio da manipulação dos tecidos utilizando diferentes direções de deslizamento, apoios e pressões, de acordo com a necessidade e os relatos do paciente.

O terapeuta também pode fazer uso de um rolo específico para a liberação, e da mesma forma que a manual, dosar a intensidade e a pressão que é exercida.

Já se você for realizar a auto-liberação miofascial, existem alguns equipamentos específicos que proporcionam a liberação, enquanto você usa seu peso corporal no lugar da pressão manual terapêutica: Stick (bastão), foam rollers (rolo de espuma), bolas de tênis e soft ball. Neste caso, você irá rolar a parte do corpo dolorosa, por exemplo a coluna lombar, em cima de um desses equipamentos citados; se for utilizar as bolas, é mais confortável que seja feito de pé, contra a parede, guiando a bola.

Atenção: O ideal é que a auto-liberação seja efetuada apenas nos indivíduos saudáveis, sem nenhuma lesão muscular ou mesmo indício de patologia. Nestes últimos dois casos, é necessária a atuação de um fisioterapeuta.

liberacao-miofascial

 

É possível fazer a liberação miofascial sozinho?

 

Este é um questionamento altamente comum. No geral, não se indica fazer a liberação miofascial sozinho, pois podem haver problemas, caso a pessoa apresente tecidos lesados.

Se este não for seu caso, há algumas possibilidades de realizar a liberação miofascial. Veja neste vídeo, mais sobre a liberação miofascial e como ela pode ser feita!

 

Liberação miofascial e a melhora na recuperação dos treinos

A liberação miofascial ganhou bastante destaque para o grande público, como uma forma de melhorar a regeneração muscular. Usada fortemente por atletas em fase de preparação esportiva, a liberação miofascial se tornou mais conhecida.

Há várias evidências que mostram que a liberação miofascial é uma excelente forma de melhorar a regeneração muscular. A premissa para isso é bastante simples: menos aderida as fibras musculares, a fascia dá mais espaço para que o músculo “relaxe” e possa se recuperar. Além disso, o processo de liberação miofascial também estimula fortemente a circulação local. Isso, para fins de regeneração muscular, é fundamental.

Porém, é importante trabalhar de forma inteligente com a liberação miofascial para a regeneração muscular. Por exemplo, se em seu plano de treino você tem sessões de choque, espere que estas acabem, para então optar por uma sessão completa de liberação miofascial.

Não adianta fazer uma liberação miofascial em determinado grupo muscular, buscando a sua recuperação, se na sequência ele será solicitado fortemente em seu treino.

Liberação miofascial melhora a definição muscular?

 

Este é um ponto altamente comentado, mas que precisa ser fortemente analisado. A definição muscular se dá pelo maior volume muscular, somado a um baixo percentual de gordura. Em indivíduos onde isso é visível, como atletas fisiculturistas, por exemplo, a liberação miofascial melhora sim a definição muscular. Ela vai melhorar a “separação” dos músculos e deixá-los mais evidentes.

Porém, é inocência acreditar que você poderá melhorar este quadro de definição muscular, com um percentual de gordura alto, apenas fazer a liberação miofascial.

Para que a liberação miofascial ajuda na definição muscular, precisamos necessariamente de… Definição muscular!

Não espere milagres com a liberação miofascial em termos de definição muscular. Ela até ajuda em alguns casos, mas jamais fará milagres.

 

Precauções e contraindicações necessárias

 

No momento em que é feita, a liberação miofascial geralmente tende a ser dolorida, pela existência de pontos tensionados ou dolorosos devido aos vários motivos citados anteriormente. No entanto, a sensação de alívio que a sucede é tanta, que vale a pena todo o esforço.

Entretanto, esse fato faz com que tenhamos cuidado ao manipular ou indicar a liberação para algumas pessoas que possuam hipersensibilidade vascular ou intolerância à dor, por exemplo. Sempre lembrando do quesito individualidade, ninguém reage da mesma forma ao mesmo estímulo, afinal, são organismos diferentes e isso exige cautela em tudo que se trata de corpo humano.

 

Agora que você já sabe sobre como funciona a liberação miofascial, que tal melhorarmos seu treino? Com minha consultoria online fitness, você pode ter melhores resultados e melhorar consideravelmente seus resultados. Bons treinos!

 

 

REFERÊNCIA:

RÊGO, Elvyna Melo; et al. Efeitos da Liberação Miofascial Sobre a Flexibilidade de um Paciente com Distrofia Miotônica de Steinert. 2012. Disponível em: < http://www.fisioterapia.com/public/files/artigo/neurologia2.pdf>. Acesso em: 18 ago 2015

 

 

3 thoughts on “Liberação miofascial: o que é e quais suas indicações

  1. Olá Sandro !
    Obrigada por suas explicações !
    Conhecí a liberação miofascial este ano. Por conta de uma tendinite no calcâneo, passei por vários fisioterapêutas e acupuntura sem sucesso. Dores terríveis ! Finalmente encontrei uma excelente clínica em que utilizaram a técnica miofascial e que sentí uma melhora da dor impressionante. Fiz direto por 30 dias seguidos. Tive que dar uma parada por motivo de uma longa viagem, mas, pretendo continuar com a miofascial até parar definitamente a dor. Pergunto: o tratamento é demorado mesmo ou meu caso é mais complicado ? Valeu !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *