insuficiência ativa

Insuficiência ativa e sua relação com a musculação

Rate this post

Sempre que vejo algum novo “guru” que dá “dicas” de musculação, sem ter formação, sem conhecer os mínimos rudimentos da ciência, muita coisa me veem a cabeça. Fico pensando em quanta coisa, quantos conceitos, ele não conhece. Tanta coisa, que mesmo um profissional capacitado, fica em dúvida muitas vezes. Imagine um leigo. Um deste conceitos, que geralmente desmonta muitos “experts” ou pessoas “com prática” é a Insuficiência ativa e sua relação com a musculação

Um conceito fundamental, oriundo da cinesiologia. Entender o que é a insuficiência ativa e de que forma ela atua em seu treino de musculação, é fundamental para otimizar os resultados. Sem saber isso, cometemos erros básicos. Está vendo como treino é algo sério?

Vamos entender agora o que é insuficiência ativa!

 

O que é insuficiência ativa?

 

Nossos músculos tem uma relação direta com a posição de nossas articulações. De acordo com determinadas posições, temos mais ou menos trabalho muscular. De forma geral, isso envolve fatores complexos, como aproximação de origem e inserção, trabalho em determinados ângulos.

Ao fenômeno em que ocorre uma perda parcial da capacidade de contração de músculos em determinadas posições, damos o nome de insuficiência ativa. Em termos menos técnicos, de acordo com alguns posicionamentos de articulações, temos menos efetividade em alguns músculos que deveriam ser o motor primário.

Desta maneira, ocorrem compensações musculares para que haja o movimento. Mas isso ocorre com todos os músculos?

 

Saiba mais sobre a Consultoria Online Fitness, clicando na imagem abaixo!

consultoria-online-fitness

 

 

De forma geral, a insuficiência ativa ocorre particularmente em músculos biarticulares. Nos músculos que não são biarticulares, ela ocorre em uma proporção muito menor e na maioria dos casos, é insignificante.

Menezes (2011) afirma que a insuficiência ativa é quando ocorre a aproximação da origem e inserção de músculos biarticulares, a tal ponto, que estes perdem parte de sua capacidade de contração.

De forma geral, alguns músculos, perdem grande parte de sua capacidade de contração, quando as articulações se encontram em determinadas posições.

Veja agora, quais os principais músculos sofrem insuficiência ativa!

 

Quais músculos sofrem insuficiência ativa?

 

Este é o fator mais importante de estar compreendido ao final deste texto. Alguns dos principais músculos que sofrem insuficiência ativa, são utilizados fortemente na musculação.

Veja alguns deles!

 

Insuficiência ativa no bíceps braquial:

 

O bíceps braquial é um músculo biarticular, pois passa por cotovelo e ombro. Toda vez que o ombro entra em flexão, temos uma insuficiência ativa no bíceps. Desta maneira, quanto maior a flexão, maior será a insuficiência ativa.

Neste caso, movimentos como a rosca scoot e o bíceps na polia alta, acabam tendo uma ação muito mais forte no braquial.

Insuficiência ativa no tríceps braquial:

O tríceps não é completamente biarticular, apenas a sua porção longa. Desta maneira, em movimentos que envolve extensão do ombro, acabam fazendo com que esta porção entre em insuficienca ativa.

Movimentos como o tríceps patada e o tríceps banco (mergulho), fazem com que haja insuficiência ativa nesta porção.

 

Insuficiência ativa no quadríceps:

 

No quadríceps, apenas o reto femoral sofre insuficiência ativa. Desta maneira, nos movimentos em que ocorre uma flexão de quadril. Neste caso, movimentos com o quadril mais flexionado, tem um potencial contrátil maior nos demais músculos do quadríceps.

 insuficiência ativa

 

Insuficiência ativa nos isquiotibiais:

 

Todos os músculos que compõe os isquiotibiais sofrem insuficiência ativa, desde que ocorra, de forma conjunta, uma flexão de quadril e de joelhos, combinada. Isso acontece, por exemplo, quando realizamos o stiff com os joelhos fletidos.

Insuficiência ativa nos gastrocnemios:

 

Os gastrocnemios, sofrem insuficiência ativa quando temos uma flexão de joelhos. Assim como já mostrei neste artigo sobre treino de hipertrofia para panturrilhas, em movimentos com os joelhos estendidos, temos uma ação muscular mais intensa neste músculo.

 

Existem outros músculos que sofrem também insuficiência ativa. Veja agora como fazer com que a insuficiência ativa não atrapalhe seus treinos!

 

Insuficiência ativa e musculação, como evitar que ela atrapalhe seus treinos?

 

As pessoas que são fãs de alguns exercícios, podem ter dificuldades em lidar com alguns pontos aqui apresentados. Quando falo que a rosca scoot gera insuficiência ativa no bíceps, não quer dizer que náo há contração neste músculo. Isso significa que há menos contração e consequentemente, menos qualidade. Devemos tirar estes movimentos do treino? Não!

Sempre que um exercício faz com que tenhamos insuficiência ativa, outros assumem o papel de motores primários. Usando ainda o exemplo da rosca scoot, ela é fantástica para fortalecer e hipertrofiar o braquial. Em todos os demais movimentos, há situações muito parecidas.

Desta maneira, a insuficiência ativa, quando usada de forma inteligente e para corrigir determinados problemas, pode ser positiva.

Resumindo tudo o que foi escrito aqui, com um treinador que conheça o básico (sim, isso é básico!) de cinesiologia, seu treino será muito mais eficiente.

Para finalizar, já falei sobre este tema neste vídeo aqui! Bons treinos!

 

 

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Sua mensagem

[mc4wp_checkbox]


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *